Alimentação saudável é foco de ONG na periferia de São Paulo

Com o objetivo de conscientizar e disseminar bons hábitos alimentares entre crianças, seus familiares e educadores, projeto atende crianças de zero a 14 anos

Redação*

alimentacao_saudavel_fund julitaNo mês em que se comemora o Dia Mundial da Alimentação (16/10), são várias as ações desenvolvidas por empresas e instituições para promover e debater questões relacionadas à alimentação e à nutrição. Uma delas tem como foco crianças que vão da primeira infância até os 14 anos de idade. Trata-se do Projeto “Alimentação Saudável”.

Desenvolvido pela Fundação Julita em 2012, com o objetivo inicial de erradicar a desnutrição infantil por baixo peso e estatura das crianças (6 meses aos 4 anos) atendidas pela ONG, o projeto viu a necessidade de investir na contratação de uma nutricionista exclusiva. “Garantimos às crianças daqui uma alimentação totalmente livre de processados e com baixo teor de sal, açúcar e gordura. Mas, percebemos que após o período de férias, as crianças voltavam desnutridas”, conta Jânio de Oliveira, gestor pedagógico da Fundação Julita.

“Foi aí que vimos que deveríamos estender o programa e conscientizar e disseminar bons hábitos alimentares não só entre as crianças, mas também entre seus familiares e educadores”, diz Oliveira. Foi nessa época também que decidiram ampliar o acompanhamento e a educação nutricional das crianças até os 14 anos de idade. “Com crianças um pouco maiores, observamos outra questão importante – a obesidade”, acrescentou.

“Vimos que tínhamos e ainda temos um desafio gigante pela frente, que envolve educação nutricional e orientação familiar, mas também de convencimento do comércio local. Nos mercadinhos da comunidade não encontrávamos uma gôndola sequer de legumes e verduras”, diz Oliveira.

alimentação saudável_fund julitaLocalizada no Jardim São Luís, bairro da periferia da zona sul de São Paulo, a ONG existe há 64 anos e desenvolve programas socioeducativos e culturais direcionados à integração de escolas, famílias e comunidade. “Com o passar dos anos, fomos estruturando a Fundação de uma maneira que ela pudesse abraçar do bebê ao idoso”, diz Oliveira.

Com 47 mil m², a Fundação Julita possui fazendinha com animais, biblioteca comunitária, quadras poliesportivas e diversas salas para atividades pedagógicas e culturais. Hoje, ela atende cerca de 1200 pessoas de baixa renda.

Campanha

Para conseguir dar continuidade ao projeto “Alimentação Saudável”, a ONG lançou uma campanha na internet para arrecadar fundos. Para saber mais, acesse www.juntos.com.vc/nutrir-julita