Valor da Produção Agropecuária chega a R$ 533,5 bilhões em outubro

Valor é 1,6% acima do valor de 2016

Redação*

Divulgação Abapa

O valor bruto da produção agropecuária (VBP) para 2017, com dados de outubro, é de R$ 533,5 bilhões, 1,6% acima do valor de 2016, que foi de R$ 525 bilhões. As lavouras tiveram aumento real de 5,5% e a pecuária, redução de 5,8%.

Os produtos que mais se destacam neste ano, em faturamento, foram algodão, com aumento real de 73,56% em relação ao mesmo período do ano passado, arroz, 9,95%, cana-de-açúcar, 30,6%, laranja, 7%, mandioca, 88,2%, milho, 14,2%, e uva 50,7%. Esses produtos se beneficiaram de aumentos de preços, caso do algodão, cana-de-açúcar, laranja, e mandioca, enquanto o milho, do aumento de produção. Na pecuária, os melhores resultados vêm sendo obtidos por carne suína e leite.

Os preços mais baixos reduziram o valor da produção de uma relação grande de produtos. Para alguns, a redução real é superior a 40%; cebola, 47,5% e batata, 49%. Os preços na pecuária também encontram-se em níveis menores do que no ano passado, como da carne bovina e de frango, o que também reduziu o faturamento desse setor.

Os prognósticos para a safra de 2018, divulgados pela Conab e IBGE, indicam que 2018 poderá ter uma safra de grãos menor do que neste ano. A Conab projeta redução percentual média de cerca de 5% e o IBGE de 8,9%. Em valores absolutos, a Conab projeta valores entre 223,3 milhões de toneladas e 227,5 milhões de toneladas, enquanto que o IBGE projeta safra de 220,2 milhões de toneladas. De acordo com a Conab, a safra deste ano deve fechar em 238 milhões de toneladas e para o IBGE em 241,6 milhões de toneladas. A estimativa projetada para o VBP é de R$ 506 bilhões, com redução de 5,1% em relação a este ano.

*Com informações da Agência Brasil

 

 

De janeiro a outubro, exportações aos árabes crescem 22%

Em receita, vendas somaram US$ 11,4 bilhões

Redação*

frigorifico_inspecao-halal_fambrasAs exportações brasileiras aos países árabes somaram US$ 11,4 bilhões entre janeiro e outubro, de acordo com o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). O resultado representa um aumento de 22,31% em relação ao mesmo período de 2016. Em volume, os embarques somaram 29,4 milhões de toneladas, alta de 18,92% na mesma comparação. Açúcar (34,4% do total de receitas), carne de frango (19,7%), minérios (8,4%), carne bovina (7,2%) e milho (5,5%) lideraram a pauta de exportações no período.

A Câmara Árabe-Brasileira espera fechar 2017 com incremento de pelo menos 15% nas vendas externas. O prognóstico é sustentado pelo avanço do preço médio embarcado, que de janeiro a outubro de 2017 foi de US$ 32,6 mil/ton, contra US$ 31,7 mil/ton no mesmo período de 2016.

Segundo a instituição, outros fatores também devem ser considerados, como o aumento das receitas dos principais produtos da pauta em maior proporção que o volume embarcado. De janeiro a outubro, as exportações de minério de ferro cresceram 71,1% em receita e 21,2% em volume na comparação com o mesmo período de 2016. As de açúcar, 41,8% e 22%, respectivamente. Frango, 6,1% e -0,6%. Esses aumentos são creditados tanto à expansão da demanda em compradores tradicionais e emergentes, caso do Egito (que comprou 31,7% mais do Brasil no período), da Argélia (18,6%) e do Iraque (71,8%), como também à recuperação das commodities.

Em relação à carne bovina, o recuo foi mínimo, de 2,9% em relação a janeiro-outubro de 2016, totalizando o montante de US$ 828,1 milhões.

*Com informações da assessoria da Câmara Árabe-Brasileira

Comercialização de milho e soja é tema de curso promovido em São Paulo

Variáveis que influenciam preços internos e externos serão abordadas em 22 e 23 de novembro

Redação*

milho-300x225Em 22 e 23 de novembro, acontecerá em São Paulo o curso “Comercialização de Milho e Soja – como reduzir riscos na comercialização utilizando ferramentas globais”, com o especialista em agrobusiness no segmento de milho e carnes, Paulo Molinari.

“O curso trata de todas as variáveis que influenciam os preços internos e externos, dos fatores fundamentais e os técnicos. Procura focar nos pontos que o empresário necessita avaliar para tomar decisões mais coerentes na comercialização evitando informações distorcidas e fora do contexto real dos acontecimentos. A abordagem sobre operações de Bolsa de Futuros, opções e análise técnica é o ponto diferenciado para os empresários do setor, os quais precisarão dispor deste avanço no segmento de comercialização daqui para frente”, explica em nota o consultor.

O curso é promovido pela SAFRAS & Mercado. Para outras informações, escreva para educacional@safras.com.br ou acesse www.safras.com.br

Serviço

O quê? Curso “Comercialização de Milho e Soja – como reduzir riscos na comercialização utilizando ferramentas globais”

Onde? Rua Professor Filadelfo Azevedo, 712 – Vila Nova Conceição | São Paulo/SP

Quando? 22 e 23 de novembro, das 8h45 min. às 17h30min.

*Com informações da assessoria