Colheita da safra de soja alcança 74% da área e do milho 63%

Segundo levantamento da DATAGRO, plantio da segunda safra de milho está praticamente concluído

Sergio Ranalli/Pulsar

Descarga de soja após a colheita, em Leópolis/PR. Foto: Sérgio Ranalli/Pulsar

A colheita da safra de soja 2017/18 no Brasil alcançou 74% da área semeada, considerando a data de 29 de março, contra 67% da semana anterior, apontam dados da DATAGRO Consultoria. Segundo o analista de grãos da DATAGRO Consultoria, Flávio Roberto de França Júnior, o ritmo de retirada da oleaginosa das lavouras está igual ao registrado em igual período de 2017, mas levemente superior ao percentual de 73% da média normal das últimas cinco temporadas.

 No caso da primeira safra de milho, a colheita atingiu 63% da área semeada, avanço moderado sobre os 56% da semana anterior. “O avanço só não foi maior porque os produtores estão dando preferência para finalizar a colheita da soja”, diz França Júnior. No entanto, de acordo com o analista, o ritmo de retirada do grão das lavouras segue atrasado em relação aos 73% registrados em igual período de 2017, e também sobre os 69% da média normal das últimas cinco temporadas.

 Já o plantio da segunda safra de milho chegou próximo aos 100% da área estimada para a cultura. O ritmo dos trabalhos, destaca França Júnior, foi inferior ao registrado na temporada anterior, mas próximo da média normal dos últimos cinco ciclos.

 Intenção de plantio nos EUA surpreende com área menor para soja e milho

 O relatório de intenção de plantio da safra 2018/19 dos Estados Unidos, divulgado no último dia 29 de março pelo Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês), aponta que a área a ser cultivada com soja deverá chegar a 36,01 milhões de hectares, recuo de 1% na comparação com a temporada anterior. Segundo França Júnior, o número ficou abaixo da expectativa média de mercado, o que acabou trazendo forte suporte para a Bolsa de Chicago (Cbot).

De acordo com o órgão, a expectativa é que a área plantada com milho atinja 35,62 milhões de hectares, queda de 2,4% ante o ciclo anterior. “O número veio abaixo da expectativa de mercado em torno dos 36,20 milhões de hectares”, ressalta França Júnior, que acrescenta: “se confirmado, esse será o quinto ano de retração na área semeada nas últimas seis temporadas”.