Geração de energia de biomassa cresce 9% este ano

De acordo com CCEE, o bagaço de cana-de-açúcar foi o combustível mais utilizado na geração das usinas em 2017, com 85% do total

Redação*

bioeletricidade-300x200Dados do último relatório divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) indicam um crescimento de 9% na geração das usinas térmicas movidas à biomassa, no período de janeiro a setembro deste ano em comparação a 2016. De acordo com a CCEE, a geração foi de 2.865 MW médios.

A capacidade instalada das plantas movidas à biomassa do Sistema Interligado Nacional (SIN) também evoluiu, chegando a 13GW ao final de setembro. O índice é 11,8% superior ao registrado no mesmo período de 2016, quando a capacidade da fonte era de 11,6 GW.

Segundo a instituição, o bagaço de cana foi o combustível mais utilizado na geração das usinas movidas à biomassa em 2017 com 85% do total (2.435 MW médios). Na sequência, aparecem o licor negro (subproduto resultante do processamento da madeira na fabricação de celulose) com 9,2% da produção (262,6 MW médios) e o biogás de resíduos sólidos urbanos com cerca de 2,7% do total (78,7 MW médios).

Os dados apontam ainda que o Estado de São Paulo foi o maior produtor de energia proveniente da queima da biomassa ao longo do ano. As usinas paulistas produziram 1.377 MW médios, o equivalente a 48% de toda a geração da fonte no Sistema. Aparecem na sequência Mato Grosso do Sul (408 MW médios), Minas Gerais (333 MW médios), Goiás (298 MW médios) e Paraná (164 MW médios).

Em relação ao número de plantas movidas à biomassa em funcionamento, houve um aumento de 20, no total; passando de 246 instalações ao final de setembro de 2016 para 267 este ano.

Para ter acesso ao relatório completo, acesse http://bit.ly/2zZ7OvA

*Com informações da assessoria da CCEE