Exportações do agronegócio brasileiro somaram US$ 96 bilhões em 2017

Montante representa um aumento de 13% em relação ao ano anterior

Redação*

soja_Delfim MartinsMinistério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) divulgou hoje (16) que as exportações brasileiras do agronegócio somaram US$ 96,01 bilhões em 2017, valor que representa um aumento de 13% em relação ao ano anterior.

Com o crescimento do valor exportado sobre as importações, o saldo da balança comercial do setor foi de superávit de US$ 81,86 bilhões ante os US$ 71,31 bilhões registrados em 2016.

Os dados mostram ainda que os produtos que mais contribuíram para o aumento das exportações foram o complexo da soja (+US$ 6,3 bilhões); produtos florestais (+US$ 1,3 bilhão); carnes (+US$ 1,26 bilhão); cereais, farinhas e preparações (+US$ 953,86 milhões); e o complexo sucroalcooleiro (+US$ 889,34 milhões).

Segundo o Mapa, a alta do saldo comercial se deve, em parte, ao início da recuperação de preços no mercado internacional e, sobretudo, ao aumento dos volumes exportados. No ranking de valor exportado, o complexo de soja também ocupou a primeira posição, com US$ 31,72 bilhões. As vendas de grãos foram recordes em valor (US$ 25,71 bilhões) e também em quantidade (68,15 milhões de toneladas).

As carnes ficaram em segundo lugar na pauta, com vendas de US$ 15,47 bilhões e crescimento de 8,9% em valor. A carne de frango representou quase metade do montante (46,1%). Foram exportados US$ 7,14 bilhões do produto, 5,5% acima do que havia sido registrado no ano anterior. Já as vendas de carne suína apresentaram recorde histórico, somando US$ 1,61 bilhão, ou seja, 9,7% superiores a 2016.

O complexo sucroalcooleiro ocupou a terceira posição, com US$ 12,23 bilhões. As vendas de açúcar foram responsáveis por quase todo esse montante, com 93,3% do valor (US$ 11,41 bilhões). Houve crescimento de 9,4% ante 2016, quando foram exportados US$ 10,44 bilhões de açúcar brasileiro.

*Com informações da Agência Brasil

 

Exportações do agronegócio crescem 23,7% em setembro

Embarques brasileiros somaram US$ 8,56 bilhões

Redação*

soja exportação_DivulgaçãoAgência de Notícias do ParanáDe acordo com a Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Agricultura (Mapa), as exportações brasileiras do agronegócio aumentaram 23,7% em setembro em relação ao mesmo mês de 2016. Os embarques somaram US$ 8,56 bilhões, ante US$ 6,92 bilhões de setembro do ano passado. Com importações de US$ 1,14 bilhão, o setor teve superávit de US$ 7,42 bilhões. O agro representou 45,8% das exportações totais brasileiras no mês passado.

O crescimento de US$ 1,64 bilhão nas vendas externas foi puxado pelo complexo soja (US$ 938,74 milhões), cereais, farinhas e preparações (US$ 436,17 milhões), produtos florestais (US$ 158,72 milhões), fibras e produtos têxteis (US$ 55,50 milhões) e carnes (US$ 42,50 milhões).

As vendas externas do complexo soja, de carnes, do setor sucroalcooleiro, de produtos florestais e de cereais, farinhas e preparações totalizaram US$ 6,76 bilhões.

A Ásia se manteve como principal região de destino das exportações do agro brasileiro, com US$ 3,83 bilhões. Em função do aumento das vendas de soja em grãos do Brasil houve aumento de 40,6% em exportações para a região, de modo que sua participação aumentou para 44,8% do total.

Entre os países, o principal importador do agro brasileiro é a China. A soja em grãos contribui para a manutenção daquele mercado como principal destino do agronegócio do Brasil, com US$ 1,85 bilhão em aquisições, dos quais US$ 1,31 bilhão foi apenas para a soja. Tal valor representou crescimento de 272,1%, de modo que a participação chinesa passou de 12,2% para 21,6% no período.

*Com informações do Mapa

Agronegócio paulista exporta 7,6% a mais no primeiro semestre deste ano

Dado é do IEA; saldo do setor chegou a US$ 6,96 bilhões

Redação*

BRASIL, SÃO PAULO, SP, 02/09/2014. CEAGESP. Trabalho de descarga e seleção de tomates em um box para comércio de legumes e verduras na CEAGESP  (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo, SP. Essa central é administrada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. – FOTO: ALF RIBEIRO

foto – Alf Ribeiro

Estudo do Instituto de Economia Agrícola (IEA), divulgado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, apontou que no primeiro semestre de 2017, o agronegócio paulista teve um saldo de US$ 6,96 bilhões. O valor representa um aumento de 5,6% em relação ao mesmo período de 2016.

O estudo também indica que as exportações setoriais nos primeiros seis meses deste ano chegaram a US$ 9,44 bilhões, 7,6% superior ao valor em 2016, assim como as importações subiram 13,8%, totalizando US$ 2,48 bilhões.

As exportações totais paulistas em seis meses chegaram a US$ 24,64 bilhões, o equivalente a 22,9% do total nacional, e importou US$ 25,82 bilhões (36,1% do total nacional), registrando um déficit de US$ 1,18 bilhão. Ainda de acordo com o IEA, as importações paulistas nos demais setores, excluindo o agronegócio, somaram US$ 23,34 bilhões, e as exportações US$ 15,20 bilhões.

Para acessar o estudo completo, clique aqui.

*Com informações da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo