Programa para energia solar voltado a produtores rurais é lançado em Rio Verde/GO

Agroenergia foi apresentado durante a Tecnoshow Comigo, feira de tecnologia agrícola

Redação*

Governador de Goiás, Marconi Perillo, na ocasião do lançamento do Agroenergia

Governador de Goiás, Marconi Perillo, na ocasião do lançamento do Agroenergia

Foi lançado na manhã da última terça-feira (4) durante a Tecnoshow Comigo, em Rio Verde/GO, pelo Governo do Estado e pelo Banco do Brasil um programa voltado à geração de energia fotovoltaica nas propriedades rurais.

O Programa Agroenergia tem por objetivos a redução do custo de produção, a autossuficiência na geração de energia, produção e utilização de energia limpa e transferência de tecnologia ao campo. Tem a intenção também de manutenção de renda, geração de novos empregos e ampliação dos negócios com os setores agropecuário e empresarial.

De acordo com o diretor de Agronegócios do Banco do Brasil, Marco Túlio Morales da Costa, o Programa é inspirado na iniciativa do Goiás Solar. “Queremos aproveitar a caravana do Fundo Constitucional de Financiamentos do Centro-Oeste (FCO), que seguirá para outros doze municípios nos próximos dias para apresentar esses recursos ao produtor para ele aplicar nessa questão da energia. Isso vai gerar economia, renda e, por consequência, empregos, cidadania e respeito”, disse em nota.

Segundo o diretor, no último ano, o produtor não se sentiu à vontade para investir e os recursos também não estavam disponíveis em grande quantidade. “Mas para 2017 temos condições de aplicar e investir no campo. São R$ 10 bilhões do FCO para a região Centro-Oeste, dos quais R$ 2,8 bilhões só para o Estado de Goiás”, disse.

*Com informações da assessoria da Tecnoshow Comigo

Projeto ABC promove seminários em MG

Encontros acontecerão em Unaí, Patos de Minas e Araxá

Redação*

fazenda-300x225O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Banco do Brasil e Sicoob promovem três encontros em março do projeto ABC Cerrado, voltado à agricultura de baixa emissão de carbono.

Serão três seminários de sensibilização de produtores rurais e de técnicos agrícolas em Minas Gerais. Com o objetivo de difundir, incentivar e sensibilizar os agricultores na adoção de tecnologias de redução de emissões de gases de efeito estufa, os encontros acontecerão em Unaí (10), Patos de Minas (15) e Araxá (17).

O Plano ABC indica seis práticas sustentáveis – recuperação de áreas degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema de plantio direto, fixação biológica de nitrogênio, florestas plantadas e tratamento de resíduos animais – e faz parte do compromisso do Brasil em reduzir as emissões de gases de efeito estufa, assumido na 15ª Conferência das Partes na Dinamarca, em 2009.

Para inscrições e outras informações, escreva para abc@senarminas.org.br ou ligue para (31) 3074-3080.

*Com informações do Mapa

Banco lança guia de boas práticas agropecuárias

Resultado do trabalho realizado ao longo de cinco anos, portfólio orienta produtores a respeito de ações que possibilitem melhor gerenciamento da propriedade rural

imagem_prop. ruralNo segundo semestre deste ano, o Banco do Brasil lançou um guia de boas práticas agropecuárias (BPA) para orientar produtores a respeito de ações que possibilitem melhor gerenciamento da propriedade rural e agreguem valor aos produtos. O portfólio faz parte do Programa Água Brasil e é resultado dos cinco anos do projeto, que tem por objetivo a conservação da água e dos rios. “Como maior instituição financiadora do agro, entendíamos que a questão da água era algo impactante e resolvemos, por meio do programa, mostrar que é possível aliar conservação e desenvolvimento”, diz Wagner de Siqueira Pinto, gerente executivo da Unidade de Negócios Sociais e Desenvolvimento Sustentável do Banco do Brasil.

O Programa é uma parceria entre Banco do Brasil, Fundação Banco do Brasil, WWF-Brasil e Agência Nacional de Águas. O BPA está sendo divulgado pela equipe de 274 agrônomos do banco, distribuídos em três grandes redes. “Temos profissionais em todas as microrregiões produtoras brasileiras. A rede de Brasília, responsável pelos estados das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Norte, conta com 132 pessoas e 10 gestores; a rede em Curitiba tem atuação nos estados da região Sul, e possui 67 profissionais e cinco gestores; e por último a rede São Paulo, responsável pelos estados do Sudeste, com 75 profissionais e cinco gestores. Todos engajados na disseminação dessas ações”, contabiliza Ivandré Montiel da Silva, gerente executivo de Agronegócios do Banco do Brasil.

Ao longo dos cinco anos de Programa, a instituição destaca os resultados alcançados pelo município de Pipiripau, no DF. “Só nessa região, temos 130 agricultores inscritos, 18 recebem pagamento por serviços ambientais. Temos até o momento, 299.970 m de terraços recuperados, 266 mil mudas foram plantadas, 360 pessoas foram capacitadas para as ações do programa, entre outras conquistas”, conta Pinto.

Para conhecer outras ações do Programa Água Brasil e também mais informações sobre o Portfólio de Boas Práticas Agropecuárias, acesse www.bbaguabrasil.com.br e www.blogaguabrasil.com.br, respectivamente.