Preço das hortaliças sobe e das frutas cai em outubro

Informação é da Conab; confira as variações em algumas capitais brasileiras

Redação*

ARGUS    DIGITAL CAMERA

De acordo com o 11º Boletim Hortigranjeiro da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), as hortaliças ficaram mais caras e as frutas mais baratas, no mês de outubro.

Segundo traz o documento, a batata e a cenoura registraram os maiores aumentos. Em setembro, a batata havia apresentado a maior queda nas cotações. Mas, em outubro, teve aumento superior a 90% nos Estados de Goiás e do Paraná. Também ficou mais cara no Distrito Federal (67%), no Rio de Janeiro (58%), no Espírito Santo (54%) e em São Paulo (42%).

No caso da cenoura, a alta de preços chegou a 49% no Espírito Santo, seguido por aumentos de 23% a 26% no Distrito Federal, no Paraná e em Goiás. Para as duas hortaliças, a alta se deve à diminuição da oferta da safra de inverno.

Em relação às frutas, o preço de algumas já começou a cair – pêssego, 54% mais barato, ameixa (20%) e o damasco (3%). O mamão teve um recuo de preço de 44% em Goiás e de 23% em Minas Gerais. Após agosto e setembro, a banana também ficou mais barata. Na Ceasa MG, a fruta ficou 17% mais barata. Houve queda também em Pernambuco (14%), Goiás (13%) e no Espírito Santo (12%).

*Com informações da Agência Brasil

Valor da Produção Agropecuária chega a R$ 533,5 bilhões em outubro

Valor é 1,6% acima do valor de 2016

Redação*

Divulgação Abapa

O valor bruto da produção agropecuária (VBP) para 2017, com dados de outubro, é de R$ 533,5 bilhões, 1,6% acima do valor de 2016, que foi de R$ 525 bilhões. As lavouras tiveram aumento real de 5,5% e a pecuária, redução de 5,8%.

Os produtos que mais se destacam neste ano, em faturamento, foram algodão, com aumento real de 73,56% em relação ao mesmo período do ano passado, arroz, 9,95%, cana-de-açúcar, 30,6%, laranja, 7%, mandioca, 88,2%, milho, 14,2%, e uva 50,7%. Esses produtos se beneficiaram de aumentos de preços, caso do algodão, cana-de-açúcar, laranja, e mandioca, enquanto o milho, do aumento de produção. Na pecuária, os melhores resultados vêm sendo obtidos por carne suína e leite.

Os preços mais baixos reduziram o valor da produção de uma relação grande de produtos. Para alguns, a redução real é superior a 40%; cebola, 47,5% e batata, 49%. Os preços na pecuária também encontram-se em níveis menores do que no ano passado, como da carne bovina e de frango, o que também reduziu o faturamento desse setor.

Os prognósticos para a safra de 2018, divulgados pela Conab e IBGE, indicam que 2018 poderá ter uma safra de grãos menor do que neste ano. A Conab projeta redução percentual média de cerca de 5% e o IBGE de 8,9%. Em valores absolutos, a Conab projeta valores entre 223,3 milhões de toneladas e 227,5 milhões de toneladas, enquanto que o IBGE projeta safra de 220,2 milhões de toneladas. De acordo com a Conab, a safra deste ano deve fechar em 238 milhões de toneladas e para o IBGE em 241,6 milhões de toneladas. A estimativa projetada para o VBP é de R$ 506 bilhões, com redução de 5,1% em relação a este ano.

*Com informações da Agência Brasil

 

 

Conab vai comprar sementes de milho e feijão de agricultores familiares do CE

Propostas de venda deverão ser apresentadas até 3 de novembro

feijão_cenárioA Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) está com inscrições abertas para aquisição de sementes de milho e feijão de agricultores familiares. A compra será feita pela Superintendência Regional no Ceará, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). As propostas de venda deverão ser apresentadas por associações e cooperativas interessadas até 3 de novembro.

Serão adquiridos 143, 8 mil quilos de sementes de milho (BRS Catingueiro) e 19,11 mil quilos de sementes de feijão (Vigna BRS Pujante), com recursos de R$ 486,1 mil repassados pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS).

A compra foi solicitada pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para distribuição a agricultores familiares dos municípios de Aneiroz, Caucaia, Parambu, Quiterianópolis, Tauá, Boa Viagem, Canindé, Caridade, Crateús, Novo Oriente, Tamboril, Banabuiú, Mombaça, Pedra Branca, Quixeramobim, Russas e Horizonte.

Para participar do edital, associações ou cooperativas da agricultura familiar devem enviar à Conab, além da proposta de participação conforme modelo pré-determinado, prova de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), cópia da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) Jurídica, entre outros documentos listados no edital. Também é preciso que a cultivar a ser fornecida e a entidade fornecedora estejam inscritas no Registro Nacional de Cultivares e no Registro Nacional de sementes e mudas (RENASEM). Os documentos devem ser entregues na sede da Conab no Ceará ou enviados pelos Correios.

Após a habilitação, serão priorizadas as propostas de participação com maior proximidade do município de entrega, visando aumentar a adaptação da semente, incentivo à produção local e menor custo de transporte. Em segundo lugar, terão prioridade como fornecedores assentados da Reforma Agrária, mulheres e quilombolas.

Serviço

Chamada pública para compra de sementes de milho e feijão
Prazo de inscrição – até 3 de novembro
Local de entrega da documentação com proposta de venda – Conab/CE – Rua Antônio Pompeu, 555 – José Bonifácio – Fortaleza/CE – CEP 60040-005 – A/C Marcelino Viana da Silva Filho

*Com informações da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário