Safra de laranja 2017/18 é reestimada em 374,06 milhões de caixas

Montante corresponde a um aumento de 2,63% da previsão divulgada em maio pelo Fundecitrus

Redação*

pomar_laranjaA safra de laranja 2017/2018 do cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo/Sudoeste Mineiro deve ser de 374,06 milhões de caixas, de 40,8 Kg cada. A reestimativa é do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus). O montante corresponde a um aumento de 2,63% em relação à estimativa inicial, publicada em maio, de 364,47 milhões de caixas.

Ainda de acordo com o Fundecitrus, o crescimento da safra foi provocado pelas chuvas acima da média nos meses de abril, maio e junho deste ano, que causaram aumento do peso das laranjas em relação à expectativa inicial e, por consequência, redução do número de frutos necessários para compor uma caixa de 40,8 Kg.

O relatório traz também que a taxa média de queda de frutos deve ser de 18,25%, enquanto o número projetado em maio era de 18,50%. Em relação à colheita dos frutos, cerca de 75% da safra de variedades Hamlin, Westin e Rubi já estava colhida em meados de julho. Em agosto, a colheita dessas variedades chegou a 93% e das outras variedades precoces atingiu 73%. Para a variedade de meia estação, Pera Rio, estima-se que apenas 27% da produção já tenha sido colhida. No caso das variedades tardias, estima-se que somente 8% da produção de Valência Folha Murcha já foi colhida, e 5% da Natal.

A reestimativa divulgada hoje (11) pelo Fundecitrus tem como base o monitoramento de 900 talhões do cinturão citrícola feito a partir da divulgação da estimativa inicial de maio.

*Com informações do Fundecitrus

 

Projeto ABC promove seminários em MG

Encontros acontecerão em Unaí, Patos de Minas e Araxá

Redação*

fazenda-300x225O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Banco do Brasil e Sicoob promovem três encontros em março do projeto ABC Cerrado, voltado à agricultura de baixa emissão de carbono.

Serão três seminários de sensibilização de produtores rurais e de técnicos agrícolas em Minas Gerais. Com o objetivo de difundir, incentivar e sensibilizar os agricultores na adoção de tecnologias de redução de emissões de gases de efeito estufa, os encontros acontecerão em Unaí (10), Patos de Minas (15) e Araxá (17).

O Plano ABC indica seis práticas sustentáveis – recuperação de áreas degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema de plantio direto, fixação biológica de nitrogênio, florestas plantadas e tratamento de resíduos animais – e faz parte do compromisso do Brasil em reduzir as emissões de gases de efeito estufa, assumido na 15ª Conferência das Partes na Dinamarca, em 2009.

Para inscrições e outras informações, escreva para abc@senarminas.org.br ou ligue para (31) 3074-3080.

*Com informações do Mapa