Blairo defende etanol de milho, para aumentar renda do produtor

Ministro participou de Fórum Mais Milho, em Castro/PR, na quinta-feira, 01, onde sugeriu agregar valor ao grão 

Redação*

xxxxx

No Fórum, Blairo defendeu agregar valor ao cereal

O ministro se diz um defensor da produção de etanol a partir do milho, como se faz nos Estados Unidos. Segundo ele, essa é uma forma de agregar valor ao cereal e que tem trazido uma boa solução para a sua utilização no Mato Grosso, estado responsável por 35% da produção nacional e principal produtor do grão no Brasil.

“É uma nova forma de consumo do grão, que garante melhor renda ao produtor, que é o que importa”, finaliza Blairo, exemplificando a “transformação” do milho em suínos e aves. 

Para o ex-ministro da Agricultura e presidente da Associação Brasileira de Produtores de Milho – Abramilho, Alysson Paolinelli, também presente ao fórum, a produção de etanol é um dos caminhos para agregação de valor à produção. Segundo ele, existem várias outras possibilidades, como a que foi vista na biorrefinaria da Cargill – onde são produzidos pelo menos 10 novos subprodutos do milho a partir da destinação industrial – e em uma empresa de aminoácidos para suplementação da alimentação animal, também na paranaense Castro.

“O milho tem tanto potencial de uso quanto a soja e precisamos estimular novas descobertas. Quanto mais demanda houver, melhor vai ser para o produtor”, concluiu Paolinelli. 

* com informações de Nelson Moreira, da Agropress Marketing e Comunicação.

Mapa declara estado de emergência no Mato Grosso do Sul

Decreto é publicado em razão do surto da praga Helicoverpa armigera

Redação*

helicoverpa_armigera_fabiano_bastos-45-300x199O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) declarou “estado de emergência fitossanitária relativo ao risco de surto da praga Helicoverpa armigera no Estado do Mato Grosso do Sul, para implementação do plano de supressão da praga e adoção de medidas emergenciais”.

O decreto foi publicado no Diário Oficial da União na última terça-feira (31/1).

A lagarta tem grande poder de destruição e atinge, principalmente, as lavouras de milho, soja e algodão.

 

Mapa renova estado de emergência fitossanitária no Maranhão

Medida é relativa ao risco de surto da praga Helicoverpa armigera em lavouras de milho, soja e algodão

Redação*

helicoverpa_armigera_fabiano_bastos-45-300x199O Ministério da Agricultura renovou o estado de emergência fitossanitária relativo ao risco de surto da praga Helicoverpa armigera nas mesorregiões Leste e Sul do Maranhão. O decreto foi publicado nesta semana (14) e tem vigência de um ano.

A lagarta tem grande poder de destruição e atinge, principalmente, as lavouras de milho, soja e algodão.

Neste Estado, a emergência fitossanitária vem sendo adotada desde 2014. O controle é feito principalmente nas regiões de Balças, Chapadinha e Caxias. As áreas são as mais representativas na produção de grãos do Maranhão.

A medida atendeu a demanda de produtores para garantir a autorização do uso de um inseticida que não tem registro no Brasil para a contenção da praga – benzoato de emamectina.

*Com informações da Agência Brasil