Índice CEAGESP registra queda de 4,32% no acumulado de 2017

Frutas e diversos apresentaram reduções expressivas de preços ao longo do ano

Redação*

De acordo com divulgação do CEAGESP, 2017 foi favorável para o setor de abastecimento de hortifrutícolas, ajudado pelo clima e pela recuperação da economia. Com juros mais baixos, o setor, no geral, conseguiu se recuperar das dificuldades enfrentadas em 2016, aumentando os investimentos e o volume ofertado. Com mais produtos no mercado, os preços dos mais de 150 produtos acompanhados pelo índice CEAGESP encerraram o ano em queda.

Frutas e diversos registraram reduções expressivas nos preços ao longo do ano. Verduras e pescados fecharam o ano com elevação dos preços praticados.

EVOLUCAO INDICE 2017

Ainda segundo o índice, as principais altas foram, nas frutas, limão taiti (156,4%), mamão havaí (59,5%) e mamão formosa (24,8%). Legumes – pimentão verde (63,8%), abóbora seca (52,4%), tomate maduro (42,6%), tomate salada (32,6%) e cenoura (26,5%). Verduras – escarola (53,5%), repolho (32,7%), alface crespa hidropônica (18,3%) e acelga (15%). Diversos – batata beneficiada lisa (48,8%), coco seco (23%) e cebola nacional (17,4%). Pescados – tainha (62%), sardinha congelada (51,2%) e pintado cativeiro (12,9%).

CEAGESP divulgou também que as frequentes chuvas e as altas temperaturas que comumente ocorrem no primeiro trimestre de cada ano podem provocar situações altamente prejudiciais para a produção de hortaliças, notadamente as mais sensíveis. Portanto, legumes e verduras devem apresentar problemas na qualidade e diminuição do volume ofertado no início de 2018. Em contrapartida, a maioria das frutas devem registrar boa oferta e preços reduzidos em relação ao ano passado.

O Índice CEAGESP é um indicador de variação de preços no atacado de frutas, legumes, verduras, pescado e diversos.

*com informações do CEAGESP

 

Preços de hortifrutigranjeiros sobem 4,88% em setembro

Dado é da Ceagesp; alta foi influenciada pela estiagem prolongada

Redação*

00729Os preços dos produtos hortifrutigranjeiros comercializados pela Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) subiram, em média, 4,88% em setembro. Esta foi a segunda maior alta do ano, influenciada pela estiagem prolongada, que afetou principalmente as frutas. Até agora, o maior aumento este ano tinha sido registrado em fevereiro (5,78%), quando as cotações sofreram o impacto do excesso de chuva nas lavouras.

Apesar da alta de setembro, no acumulado do ano, o índice ainda aponta leve recuo, de 0,76% em relação ao mesmo período de 2016. Já nos últimos 12 meses, o índice acumula alta de 0,11%.

De acordo com a Ceagesp, os preços das frutas aumentaram, em média, 7,9%, com destaque para a carambola (57,6%), o kiwi estrangeiro (55,5%), o mamão formosa (49,5%), o limão taiti (37,5%), o maracujá azedo (31,5%) e o maracujá doce (21,8%).

Também foi registrada alta no setor de pescados (6,1%). Os legumes apresentaram queda de 1,11%, as verduras de 5,09% e no setor de diversos, que inclui cebola, alho e batata comum, entre outros.

*Com informações da Agência Brasil

 

Índice CEAGESP apresenta queda de 3,1%

A retração é reflexo do recuo nos setores de frutas, verduras e pescados segundo a Companhia

Redação*

SONY DSC

Pela segunda vez consecutiva, o índice de preços da CEAGESP apresentou queda. A retração de 3,10% em maio é reflexo do recuo nos setores de frutas, verduras e pescados. Legumes e outros produtos mantiveram preços elevados, principalmente por causa das chuvas, segundo a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo.

Ainda de acordo com a CEAGESP, mesmo com as chuvas fora de época nas regiões produtoras do Sul e do Sudeste, a tendência para os próximos meses é de redução dos preços.

Em maio, o setor de frutas caiu 6,53%. As principais quedas foram do mamão formosa (-37,8%), uva rubi (-34,3%), uva niagara (-27,2%), banana nanica (-24,2%) e melancia (-19,1%). As principais altas foram da goiaba vermelha (33,9%), manga tommy (33,5%), limão taiti (29,2%) e abacate (18,2%).

O setor de legumes registrou alta de 13,24%. As principais elevações foram da vagem macarrão (116,9%), quiabo (101,2%), abobrinha brasileira (46,4%) e pepino japonês (46,9%). As principais quedas foram do pimentão amarelo (-40,1%), beterraba (-32,5%), cenoura (-28,2%) e abóbora japonesa (-14,4%).

O setor de verduras recuou 15,17%. As principais quedas foram do coentro (-45,1%), salsa (-32,8%), alface lisa (-31,9%), almeirão pão de açúcar (-29,6%) e rúcula (-26,7%). As principais altas foram da couve-flor (33,5%), brócolis ninja (18,2%) e couve (8,9%).

O setor de diversos subiu 8,37%. Os principais aumentos foram da cebola nacional (16,1%), batata comum (15,1%), alho (9,1%) e amendoim (6,3%). Somente milho de pipoca (-4,2%) registrou retração no setor.

O setor de pescados registrou queda de 1,21%. As principais baixas foram da tainha (18,2%), robalo (18,1%), espada (-15,1%) e pescada (-14,4%). As principais altas foram da lula (81,3%), atum (34,1%) e badejo (20,3%).

O volume comercializado no entreposto de São Paulo caiu 4,47% em maio deste ano.

*Com informações da assessoria da CEAGESP